Ao contratar um(a) prestador(a) de serviço, confie em seu trabalho ou faça-o você mesmo(a)

Não tem nada mais tóx1c0 que cliente que acha que sabe mais que o profissional que está contratando – e isso acontece em *quase todas* as áreas.

por Marcéli Paulino

relações no trabalho | futuro do trabalho | autonomos | carteira assinada | inteligência emocional | relações profissionais | relações tóxicas | relações abusivas

Depois da pandemia de C0v1d19, veio uma outra, desta vez, cibernética: a pandemia do “sei de tudo”. Com o mercado de profissionais liberais crescendo exponencialmente em detrimento da clássica e quase extinta “carteira assinada”, clientes passam a se sentir chefes, onde o mandar e desmandar impera – na cabeça deles – dentro das relações profissionais.

Esse post é, de certa forma, um desabafo por mim e por outros colegas de trabalho, mas, é também aquele post de utilidade pública cuja carapuça servida tem a intenção de dar uma situada nessa parcela de pessoas. Ou ao menos tentar, né?

Prestador de serviço não é seu funcionário e nem tem obrigação de receber ordens, porque prestadores de serviço o são justamente por isso: não curtem receber ordens de chefe. Seguem suas próprias regras e cronogramas e o famoso “combinado não sai caro” é a lei maior nesse tipo de mercado, por isso mesmo, trabalha-se com contrato de prestação de serviços. Já anota esse lembrete, que é sempre bom ter à mão.

relações no trabalho | futuro do trabalho | autonomos | carteira assinada | inteligência emocional | relações profissionais | relações tóxicas | relações abusivas

Além disso, via de regra, se você procura um(a) profissional de determinado nicho, por um dos dois motivos é:

  1. Ou você precisa delegar esta tarefa pra aliviar a sobrecarga de afazeres ou
  2. Você *não sabe* executar esta função e precisa de alguém que saiba.

Independente de qual seja a sua situação, o ideal é que você confie plenamente esta tarefa ao profissional que contrata para executá-la, do contrário, qual o sentido de fazer esse investimento?

Além do mais, dizer a um profissional o que ele(a) deve fazer em sua própria área é, no mínimo, ofensivo. Significa que você, além de uma pessoa centralizadora e possivelmente soberba e tóxica, desconfia da capacidade deste(a) profissional (muitas vezes, sem qualquer embasamento). De qualquer modo, é um mal estar na relação profissional que pode perfeitamente ser evitado.

Como diz aquele ditado: “a vida é simples, as pessoas que complicam“. E é uma grande verdade. Desconfia da capacidade deste profissional? Simples: não o contrate.

relações no trabalho | futuro do trabalho | autonomos | carteira assinada | inteligência emocional | relações profissionais | relações tóxicas | relações abusivas

Não pode investir um valor significativo neste momento? Não invista e dê outro jeito. Ou, ainda: acredita que só você sabe fazer aquilo direito? Pague o preço de se sobrecarregar a faça – ou vá atrás de um curso e se especialize naquilo para, futuramente, se sobrecarregar com isso.

A vida é feita de escolhas e você precisa estar bem atento(a) ao que quer para si, consciente do preço a pagar. Literalmente ou não. A única coisa que não dá mais, em meio a essa sociedade já adoecida (em todos os âmbitos) e cansada, é tomar tempo de outra pessoa de forma injusta e abusiva.

Aliás, lembrete número 2: relações abus1vas não existem só nas relações amorosas, tá? No profissional elas também acontecem – e muito.

A propósito: tem vídeo no Youtube onde elucido mais minha opinião a respeito do tema, pra quem curte vídeos ao invés de textos. Só conferir:

Eu não sou de postar muito no meu canal do Youtube, porque dá trabalho editar vídeos grandes e a entrega por lá é meio m&[email protected], mas, quem curte acompanhar conteúdos por lá e puder/quiser, dá uma curtida e se inscreve. Volta e meia aparece algo por lá – geralmente, são o que chamo de “conteúdos-bombas”, kkk.

MAIS: Cuidados faciais para pele 30+

Beijos cansados, sem paciência e de TPM,

Marcéli.

Post Anterior

SPFWn53: o que dizem as passarelas desta temporada para o que vem por aí no verão 2022/2023

Próximo Post

Os estilos Barbiecore e Old Money

Deixe uma Resposta

O seu endereço de email não será publicado. Campos obrigatórios são marcados *

Voltar ao topo